Palestras sobre aspectos da sexualidade para grupos de adolescentes: relato de uma experiência

Título: Palestras sobre aspectos da sexualidade para grupos de adolescentes: relato de uma experiência
Autor(es): I. Berger
Ano: 1990
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 1
Número: 2
Páginas: 101-103
Tipo de Artigo: Apresentação de Metodologia
ISSN: 0103-6122
Língua: Portuguese

Resumo: O questionamento mais frequente é: quem deve fornecer educação sexual? A educação sexual, correta ou não, sempre é fornecida pelos pais. O fato de não serem discutidos assuntos ligados ao sexo, a omissão, as respostas incompletas ou erradas, as censuras e as dificuldades de comunicação funcionam como educação negativa.A ignorância, o pouco tempo disponível, o mau relaciona- mento dos pais são alguns dos elementos determinantes desta situação. Um argumento que reforça a necessidade da educação é a constatação que: a) vinte por cento das adolescentes engravidam no primeiro mês em que perdem a virgindade; b) A maioria inicia atividade sexual em média dois anos após a menarca (1). A escola, pela sua importância na educação da população, poderia em parte suprir essa deficiência. Mas, além de faltarem educadores, seu conhecimento e treinamento em assuntos ligados à sexualidade é quase sempre inadequado. Os profissionais da área da saúde, além da assistência, têm condições de orientar não só os adolescentes e seus familiares, mas também, igualmente, os educadores, pois estes, com os conhecimentos e a experiência adquiridos por treinamento, podem funcionar como agentes multiplicadores na assistência, prevenção e promoção da saúde. (resumo indisponível, trecho do artigo).

Entrar