Sexualidade na idade avançada

Título: Sexualidade na idade avançada
Autor(es): M. Cavalcanti
Ano: 1994
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 5
Número: 2
Páginas: 138-141
Tipo de Artigo: Opinião
ISSN: 0103-6122
Língua: Portuguese

Resumo: Um dia, Sofoeles escreveu: “Deve-se esperar até o anoitecer para ver como o dia foi maravilhoso”. Poderíamos acrescentar que a noite pode perpetuar a beleza do dia, e em função de suas estrelas, dar-lhe um sentido bem mais romântico e fantástico. Nisto, nos referimos ao fato de que na vida, as coisas se sucedem como nas fases do dia. Há modificações, há enfoques, há momentos diferentes, mas nem por isso um aspecto deve ser considerado superior ou inferior ao outro. Tentaremos resumir algumas observações sobre; o tema, que constatar- mos em nossa experiência terapêutica com pessoas idosas ou de meia idade. Podemos assegurar que as pessoas não ficam assexuadas com o passar dos anos, nem também melhoram seu desempenho, simplesmente porque ficaram mais velhas. Na realidade observam-se modificações dos padrões eróticos que, infelizmente, ainda não estamos bem preparados para entendê-las e aceitá-las. Diríamos mesmo que, as dificuldades observadas no comportamento sexual do indivíduo de idade avançada, encontram-se muito mais no plano da resposta biológica, dentro das clássicas observações feitas e cata- logadas por Masters & Jonhson. Sabemos que o período refratário no homem é mais demorado e há necessidade de estimulação mais direta do pênis para uma perfeita ereção. Sabemos também que a capacidade de lubrificação, da mulher, tona-se menor, e consequentemente haverá maior ressecamento da mucosa vaginal, etc… etc… (resumo indisponível, trecho do artigo).

 

Entrar