Mitos sobre a sexualidade do lesado medular

Título: Mitos sobre a sexualidade do lesado medular
Autor(es): M. I. G. Conceição and M. C. R. d. Silva
Ano: 2004
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 15
Número: 2
Páginas: 101-110
Tipo de Artigo: Artigos Opinativos e de Atualização
ISSN: 0103-6122
Palavras-chave: sexualidade; lesão medular; deficiência física; sexuality; spinal cord injury; physical disability
Língua: Portuguese

Resumo: Neste artigo, trata-se de desvendar o que há de fato e o que há de mito nas crendices em torno da sexualidade do deficiente físico, em especial, da pessoa com lesão medular. São discutidas crenças errôneas de domínio popular de que o deficiente  físico é um ser assexuado, que não possui atrativos físicos, que não pode ter ereção, que não sente prazer e que não pode reproduzir. Conclui-se que, embora a disfunção  sexual do lesado medular venha recebendo atenção crescente por parte de profissionais da área de reabilitação, os aspectos fisiológicos e médicos da disfunção sexual têm sido enfatizados em detrimento dos aspectos emocionais da sexualidade que, por sua vez, têm se revelado muito mais determinantes  que os fatores físicos na satisfação  sexual e na qualidade dos relacionamentos entre parceiros. Em suma, o texto enfatiza que a deficiência em si não constitui um empecilho para a obtenção de gratificações com a vida sexual. ; This paper aims to unveil what are the facts and the myths in the absurd belief that rounds the sexuality of disable people, especially of people with spinal cord injury. Wrongs believes of popular dominium which states that physically disable person are asexual, are not physically attractive, can't hold an erection, can't feel pleasure and can't reproduce, are discussed. It's concluded that, even the sexual dysfunction  of spinal cord injury person are receiving increasingly attention by professionals of rehabilitation area, physiological and medical  aspects of the sexual dysfunction  are been emphasized in detriment to emotional aspects of the sexuality which, in the other hand, have been revealed much more relevant than physical factors on sexual satisfaction and in the quality of the relationships between the partners. Summarizing, the text emphasized that the disability per se doesn't constituted an impediment to the obtainment of rewards with sexual life.

Entrar