Sexualidade depressiva: realidade presente e futura

Título: Sexualidade depressiva: realidade presente e futura
Autor(es): C. P. Bravo
Ano: 2007
Periódico: Revista Brasileira de Sexualidade Humana
Volume: 18
Número: 1
Páginas: 251-260
Tipo de Artigo: Trabalhos de Congresso
ISSN: 0103-6122
Palavras-chave: disfunções sexuais; sintomatologia depressiva; história- psicossexual; sexual dysfunctions; depressive sinthomatology; psicosexual history
Língua: Portuguese

Resumo: Disfunções sexuais, foram levadas consideradas por muito tempo como aquelas doenças secretas que se padeciam em segredo. Em prática médica temos pacientes com sintomatologias comuns, mas etiologia diferente. Problemática sexual apresentando sintomatologia depressiva: Anedonia, apatia, baixa autoestima, sentimentos de perda, incapacidade, culpa, insegurança em sua conduta, celotipias, produzidas ante problemática sexual em fases: Desejo - Excitação - Orgasmo. Uma patologia depressiva como tal, mais disfunção sexual, são suficiente argumento Psicosociosexual para cristalizar dita sintomatologia. Não tentamos desconhecer a realidade de diminuição na libido em pacientes depressivos, mas si devemos valorizar por que certas circunstâncias sexológicas, em sujeitos não diagnosticados como depressivos, apresentam sintomatologia denominada SEXUALIDADE DEPRESSIVA, similar em referências e queixas do paciente à depressão, mas diferente etiologia: preocupação, ansiedade, decaimento frente ao problema: uma disfunção declarada e não valorizada em sua profundidade necessária para um tratamento em sexologia médica. Aqui se precisa a história Psicosexual dentro a própria história clínica. ; Sexual Dysfunctions has been taken till today, like those secret diseases that were suffered in secret. In medical practice we have patients with common sytonms, but different etiology. Sexual Problematic presenting depressive sinthomatology: Anhedonia, apathy, low self-esteem, feelings of lost, incapacity, blame, insecurity in its conduct, celotipic problems, produced in front of sexual problems in the three phases: Desire - Excitation- Orgasm. A depressive pathology like as so, plus a sexual dysfunction, are sufficient Psicosociosexual argument to crystallize this sinthomatology. We did not try to unknown the reality of diminution of the libido in depressive patients, but we must value why certain sexológical circumstances, in subjects non diagnosed like depressive, presents the denominated DEPRESSIVE SEXUALITY similar in references and complaints of the patient to the depression, but different etiology: Preoccupation, anxiety, decay as opposed to the problem:  A dysfunction  declared and not valued in its necessary depth for a treatment in medical sexology. Here Psicosexual history needs to bee inside on the own clinical history.

Entrar